Geografia: Dinâmica populacional

População do Brasil

  • Cabe observar que a evolução demográfica que o país vem vivenciando afeta diferentemente grupos de pessoas e regiões, necessitando, para uma análise mais acurada, da comparação com indicadores específicos de expansão dos serviços de saúde e educação, no caso de crianças e jovens; de indicadores de emprego, no caso dos jovens e adultos e de atenção médico-psicológica e fortalecimento dos programas previdenciários, no caso dos idosos.

Crescimento demográfico

Ano População Total Taxa de crescimento População urbana
1872: 1º censo, ainda no Império 9.930.478 Saldo migratório em decorrência da vinda de escravos 6%
1890 14.333.915 2,01% = migrantes de origem africana  
1900 30.635.605 2,91% = migrantes de origem europeia (italianos e espanhóis) 9,3%
1920 30.635.605 2,91% (imigração + crescimento de urbanização) 10,7%
1940: 1º censo do IBGE, que foi criado em 1938 41.165.289 1,49% = redução da entrada de imigrantes; crise do café; lei de cotas para imigrantes; guerra 31,2%
1950 51.941.767 2,39% = crescimento natural 37%
1960 70.070.457 2,99% 45%
1970 93.139.37 2,89% = redução de natalidade 56%
1980 119.002.706 2,48% 68%
1991 146.825.475 1,93% 74%
2000 169.799.170 1,64% 81%
2010 190.755.799 1,17% 85%

 

Entre 1970-2000: franca redução e crescimento mais fraco é a 3ª fase de Warren Thompson.

Teoria da transição demográfica de Warren Thompson

Essa teoria possui 04 fases:

  • 1ª fase: predominância de alta taxa de natalidade e de mortalidade; no Brasil essa fase é representada pelo período até 1930;
  • 2ª fase: predominância de alta taxa de natalidade e de queda na taxa de mortalidade; no Brasil essa fase é representada pelo período de 1940 (primeiro censo) até 1960;
  • 3ª fase: há queda na taxa de natalidade resultante de alguns fatores, como a entrada de mulher no mercado de trabalho; no Brasil é o período de 1970 até 2010;
  • 4ª fase: equilíbrio entre a taxa de natalidade e de mortalidade; no Brasil estipula-se que essa fase dá-se a partir de 2010 até 2040;
  • 5ª fase: esta fase não se encontra no modelo de Thompson, mas alguns teóricos consideram que aqui a taxa de mortalidade supera a de natalidade;

  • Os países periféricos localizam-se entre as fases 2 e 3;
  • Países centrais entre as fases 4 e 5;
  • Índia está no meio da fase 3;
  • Brasil está entre as fases 3 e 4;
  • China está entre as fases 4 e 5.

Política demográfica na China

  • Política Nacional de Controle da Natalidade
    • 1979: multa para o segundo filho, restrições no acesso à infraestrutura, população não possui renda para sustentar o segundo filho;
    • Efeitos colaterais:
      • Desproporção de gênero
      • Tráfico de mulheres
      • Envelhecimento da população

Política demográfica na Índia

  • Década de 1970: políticas rígidas de controle de natalidade, tenta-se copiar modelo chinês, mas não consegue porque é um país democrático;
  • Década de 1980: políticas educativas e preventivas que auxiliam a população a adquirir acesso a aparelho de televisão (também não consegue conter o crescimento populacional)
  • Década de 1990: políticas fragmentadas

Política demográfica na Rússia

  • A Rússia se encontra em uma fase avançada, caso existisse a fase 6 de Thompson, seria o caso russo;
  • A população encontra-se em decréscimo natural;
  • Emigração russa está em alta

Demografia nos países centrais

  • Depressão da natalidade;
  • Envelhecimento;
  • Taxa de fertilidade abaixo de 2,1
  • Políticas natalistas: pagamento a casais que têm mais filhos, auxílio mensal até a idade universitária;
  • Política migratória: seletiva -> qualificação específica e identitária; restritiva -> temporários e ilegais

Processo de envelhecimento

Crianças

  • 0-4 anos = Base da pirâmide
    • 1991: 5,7%
    • 2000: 4,9%
    • 2010: 3,7%
    • Idosos > 65 anos = topo da pirâmide
      • 1991: 4,8%
      • 2000: 5,9%
      • 2010: 7,4%

Razão de dependência

∟Jovens pressionam a taxa economicamente ativa

∟2000: janela demográfica (bônus): maior proporção possível de economicamente ativos sob a população (as camadas se ajudam); quando os países começam a envelhecer, tem-se custo mais alto, pois são poucos os economicamente ativos. Medidas: lei de incentivo à natalidade; imigração.

Razão de gênero

∟2000: 97 homens para cada 100 mulheres

∟2010: 96 homens para cada 100 mulheres

Expectativa de vida de mulher é maior.

  • Norte: 101,8
  • Centro-Oeste: 98,6 è imigração do sexo masculino
  • Sul: 96,3
  • Nordeste: 95,3
  • Sudeste: 94,6

Taxa geométrica entre as regiões

  • Norte: 2,09%
  • Centro-Oeste: 1,98%
  • Nordeste: 1,07%
  • Sudeste: 1,05%
  • Sul: 0,87%

Todas as regiões têm queda de taxa de natalidade; no sul e no sudeste a queda é maior.

Norte e Nordeste têm saída de população; Sudeste tem número parecido porque tem saldo migratório.

Sul: depressão de natalidade e não tem saldo de imigrantes à envia, mas não recebe.

Anúncios

Uma resposta para “Geografia: Dinâmica populacional

  1. Pingback: Edital de Geografia: Resumos & Fichamentos | Internacionalista·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s