Geografia: Os grandes movimentos migratórios

  • As causas mais óbvias dos fenômenos migratórios são as disparidades do nível da renda, emprego e bem-estar de determinadas zonas;
  • O entendimento sobre as migrações requer ainda a análise de elementos sociais, políticos, culturais, ambientais e territoriais. Pela sua complexidade e diversidade, as teorias a respeito tratam, geralmente, de facetas do fenômeno;
  • O maior movimento migratório ocorrido no mundo é, com certeza, a urbanização do planeta; segundo Milton Santos, são as novas relações campo-cidade;

Migrações internacionais

  • As migrações internacionais sempre existiram. Exemplo disso é o povoamento das colônias nas Américas e na Oceania, onde nacionais metropolitanos iriam para as colônias para ajudar na administração local;
  • Atualmente, os países desenvolvidos são os que mais recebem imigrantes. Por razões econômicas, os imigrantes geralmente buscam oportunidades e melhores condições nesses países. Segundo Milton Santos, a migração é, em última instância, sem paradoxo, consequência da imobilidade, ou seja, quem pode vai consumir e volta ao lugar de origem; quem não pode, em contrapartida, vai e fica;
  • Em 2010, 3% da população mundial morava fora de seus países. Na Austrália e na Suíça, a porcentagem de imigrantes é de 20%, enquanto nos EUA e na Alemanha a taxa é de 13%;
  • Diferente de migrantes, os refugiados contam com lógica e configuração distintas. Do estoque total de migrantes, os refugiados respondiam por 8% em 2010, ou 16,3 milhões de pessoas (UN, 2011a). Dentre essas pessoas, cerca de 80% vive na África e na Ásia;
  • O século XXI é marcado pelas migrações em direção à América do Norte e à Europa, ao passo que nos séculos XIX e XX a América e a Oceania eram os continentes que tinham superávit de imigrantes;
  • Com a eclosão da crise econômica de 2008, que afetou sobretudo a América do Norte e a Europa, é um aspecto importante que influenciará a decisão dos migrantes em procurarem novas oportunidades nesses lugares; ainda não há dados sobre o declínio do fenômeno migratório, mas entende-se que isso pode ser um agravante para a redução de imigrantes brasileiros em direção aos países desses continentes.

Migrações internacionais com brasileiros

  • Década de 80
    • 3,8 milhões (maior parte ilegais)
      • EUA: 1,5milhão à razões econômicas, maior polo de atração
      • Paraguai: 500 mil à diáspora gaúcha = expansão da fronteira, liberalização da faixa fundiária na fronteira
        • Itaipu
        • Soja paraguaia produzida por brasileiros
    • Japão: 350mil (MRE 2008) à alto retorno devido à crise mundial
    • Reino Unido: 300mil
    • Portugal: 160mil
    • Espanha: 150mil
    • Itália: 130mil
    • Alemanha
    • França
    • Suíça

Migrações forçadas

Quase sempre sul-sul: fatores de expulsão são muito maiores, a recepção no próprio sul acaba sendo melhor em comparação com a do norte.

Deslocados internos (não ocorre movimentos transfronteiriços) e refugiados (80% da movimentação estão em países em desenvolvimento).

Segundo o relatório Global Trends “World at War” – 2014, confeccionado pelo ACNUR:
Screen Shot 2015-07-31 at 7.45.51 AM

Migrações no Brasil

  • Entre 1930-1950: migrações internas do campo para as cidades, sobretudo, no Sudeste
  • Na década 1950, com a ascensão de JK, a avançada industrialização e a urbanização fizeram dobrar o êxodo rural;
  • Na década de 1960, houve também o aumento do êxodo rural, principalmente para áreas de desenvolvimento agrícola. É neste período que o Estado incentiva as migrações para regiões como a Amazônia (SUDAM – 1966); o aumento do êxodo rural
  • Nos anos 1980 e 1990, São Paulo foi a cidade que mais recebeu população de fora da área metropolitana da cidade, incluindo de outros estados, principalmente, do Nordeste;
  • Os imigrantes no Brasil: três anistias foram realizadas no Brasil:
    • 1988, 1998 e 2009: nesta última, 43 mil estrangeiros foram regularizados, entre os quais 17 mil eram bolivianos e mais de 4 mil eram paraguaios
    • Se, por um lado, as anistias demonstram a ‘boa vontade’, por outro revelam a persistência do problema ao longo dos anos e a necessidade de uma política mais abrangente;
    • Após a realização de acordos no âmbito do Mercosul, por exemplo, o problema dos indocumentados tende a diminuir;

Fluxos demográficos internos

  1. Rurais-Urbanos
    1. Êxodo rural

i.    Leva a aumento relativo de crescimento urbano

ii.    Mesma população hoje do que em 1940

iii.    Puxa o aumento da população urbana

  1. Repulsão: processo de modernização da agricultura
  2. Atração: crescimento econômico da industrialização
  3. Urbano-urbano
    1. Fluxos metropolitanos

i.    RJ e SP: grande absorção de população

ii.    Ausência de centros intermediários

iii.    Nordeste-Sudeste: ajudaram ao crescimento das metrópoles

  1. Fluxos de retorno

i.    Imigração Nordeste-Sudeste se reduz, inverte Sudeste-Nordeste

ii.    Ceará e Pernambuco já tem saldo positivo

iii.    Perda de atratividade (menor oferta de emprego, poluição)

iv.    Metrópoles passam a receber mão de obra

v.    Inflexão de tendência tradicional

vi.    Retorno à região de origem

  1. Rural-rural
    1. Diáspora gaúcha

i.    Saída da região sul = acompanha a fronteira agropecuária

ii.    Buscar terra em outros lugares (anos 50, 60 e 70) -> para Oeste do Paraná e depois para o Centro-Oeste (Toponímia: Nova Maringá no MS)

Anúncios

3 Respostas para “Geografia: Os grandes movimentos migratórios

  1. Pingback: Edital de Geografia: Resumos & Fichamentos | Internacionalista·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s