O “pepino” colombiano: Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia

Imagem: Google Images / Internacionalistas

Imagem: Google Images / Internacionalistas

Por Henrique Daniel*

Quero comunicá-los que antes de escrever este texto fiquei “empolgado” com o grau de dificuldade que eu sabia que o tema apresentaria. Como um bom calouro, acreditei que com algumas horas de dedicação, reflexão e estudos poderia estar “craque” no assunto e apto para discorrer sobre o tema: ledo engano. Foi uma ótima oportunidade para reforçar o mantra: aprender nunca é demais, e quanto mais você aprende, menos você sabe.

Peço também que o leitor abra sua mente ao máximo, ampliando até onde for possível dentro da área do conhecimento, para tratar deste assunto em que a prática das Relações Internacionais pode ser reconhecida em quase sua totalidade, se não isso, em ótimo grau de complexidade, estudo, situações hipotéticas, econômicas e sociais.

Pois bem, não trataremos aqui de um estudo aprofundado sobre a história colombiana. Iniciaremos o texto explanando de maneira simples e resumida o contexto e o desenrolar da história. Uma ótima recomendação é o documentário “50 años de monte” de Yves Bilon e Pablo Alejandro, que retrata a história das FARC, os motivos, as causas, os interesses ideológicos e até mesmo discorre sobre as negociações de paz no país, dando um panorama geral para entender a situação.

A Colômbia passou por um processo parecido ao dos outros países latino-americanos. A ruptura da estrutura colonial e o surgimento de alas que adotavam um posicionamento mais conservador, contra aqueles que adotavam um posicionamento mais libertário e progressista, desencadeou, ao longo do tempo, em conflitos. Episódios parecidos podem ser observados na história brasileira pelo menos duas vezes: durante o período monárquico, quando houve embate entre os conservadores e os progressistas, cujas visões de nação divergiam em alguns pontos importantes; e também durante a ditadura militar, já em outro contexto histórico brasileiro, de mais cunho politicamente ideológico. Percebe-se, portanto, que essa constituição nacional pós-colonialismo não é um fato isolado, muito menos específico da Colômbia.

Entretanto, por que se desenvolveu um problema de tamanha magnitude na Colômbia e não nos outros países latinos?  Neste ponto, cabe ressaltar a importância do internacionalista em ter visão sistêmica do local onde irá atuar/estudar, pois mesmo que tenham ocorrido levantes em boa parte dos países da América Latina, poucas organizações paramilitares, ou de resistência, atingiram o nível que as Farc chegaram.

Outras reflexões cabidas aqui são a importância da integração internacional e como os países vizinhos devem colaborar para assegurar os seus objetivos comuns, como segurança regional, controle das fronteiras, políticas de cooperação etc. Pode parecer que o assunto “Farc” caiba única e exclusivamente à Colômbia, mas estamos falando de uma organização paramilitar que tem um exército organizado em regiões estratégicas, que sustenta um comércio internacional de cocaína, que recruta crianças para linhas de frente, que atua em diversos países e que viola os direitos humanos de prisioneiros, mulheres, crianças, civis, tendo, até mesmo, atacado as fronteiras brasileiras.

O objetivo das Farc é implantar o socialismo e, portanto, derrubar o governo dito conservador. A história do Estado colombiano e das Farc é marcada por assassinatos, intrigas, repressão e falta de diplomacia dos dois lados. As Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia ocupam hoje boa parte do território colombiano; embora as FARC não sejam  milícias, elas se movimentam de forma organizada e disciplinada, possuem estrutura hierárquica, procedimentos, secretários e até mesmo divisões e departamentos.

As Forças Armadas Revolucionárias não são uma militância de pouca expressão, muito pelo contrário, é um exército disciplinado, organizado e em contra-cheque com o governo. Foi uma organização que já se expressou de forma política por um partido constituído e foi duramente reprimida pelo Estado (esse seria um dos motivos para as ações militares das Farc). Incontáveis vidas foram perdidas e muitas outras estão em perigo. Urge-se que a Colômbia e a comunidade internacional encontrem solução para essa situação preocupante, a qual sustenta tráfico e refino de drogas, sequestros, mortes e violação de direitos humanos na região.

O caso é complexo e dinâmico. Estudantes de diversas áreas, além das Relações Internacionais, podem encontrar na Colômbia um verdadeiro caso crítico que necessita de grande cooperação e de engajamento de praticamente todos os países localizados nas cercanias da Colômbia. O confronto Colômbia-Farc é hoje um dos maiores problemas de segurança da América Latina, trazendo consigo instabilidade regional e local, insegurança para os latino-americanos e uma barreira ao desenvolvimento e à integração, já que a situação traz em seu bojo diversos outros assuntos que por si só demandariam muitos estudos, análises, observações e pesquisas para serem resolvidos.

A situação Colômbia-Farc é problema de extrema importância para a região, o conflito já dura muito tempo e até o presente ainda não foi traçado fim definitivo para a causa. A Colômbia sofre com a situação, uma vez que o Estado é forçado a tomar medidas drásticas que, por outro lado, não facilitam em nada o processo de paz na região. O caso representa um grande desafio para os países vizinhos, por isso faz-se necessário contar com internacionalistas aptos e competentes para discutir, elaborar e direcionar as negociações. Mais uma vez, a diplomacia, exercida nas relações internacionais, é instrumento indispensável para as causas nobres e complexas do mundo.

Perguntas e Reflexões

1 – As Farc representam um grande problema para a América Latina e para os países próximos à Colômbia. Como internacionalista, pense e reflita sobre os meios que poderiam ser utilizados para tratar o problema da melhor forma possível. Pondere todas as questões sociais que norteiam a situação (econômica, insegurança, instabilidade, medo e etc) e pense como o bloco latino poderia tratar essa questão, lembrando que a negociação deve ser a melhor possível, buscando sempre a paz e a convergência dos interesses.

2 – Assista a este outro documentário  (https://www.youtube.com/watch?v=UZmBchUdQCA) e escreva sobre a situação analisada pelo seu ponto de vista.

3 – Como a sociedade colombiana é afetada pelo conflito e como a situação barra o desenvolvimento da região como um todo (integração comercial, penetração de mercado para importação e exportação, investimentos etc)?

4 – Embora conflitos ideológicos parecidos com os da Colômbia ocorreram em outros países latino-americanos, por que poucos movimentos tomaram uma amplitude tão grande quanto as FARC? Tente analisar e discorrer sobre situação baseando-se em fatos históricos.

Fontes:

https://www.youtube.com/watch?v=CeXoZogCq8c

https://www.youtube.com/watch?v=UZmBchUdQCA

http://pt.wikipedia.org/wiki/Forças_Armadas_Revolucionárias_da_Colômbia


1655799_420753214695047_1885640135_o* Henrique Daniel é estudante de Comércio Exterior e Negócios Internacionais da Faculdade de Tecnologia de São Paulo e formado como Despachante Aduaneiro pela Associação Brasileira de Consultoria e Assessoria em Comércio Exterior. Engajado em pesquisar sobre Relações Internacionais, Comércio Exterior, Economia Internacional, Integração e outros assuntos pertinentes à área.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s