O básico de Microeconomia para o CACD

Por Patricia Galves Derolle*

Olá, CACDista!

A jornada do CACD é longa, mas é preciso saber conceitos básicos muito bem para percorrer o longo caminho do concurso com mais firmeza. Espero que este resumão lhe ajude a seguir adiante com os estudos. Boa sorte!

Oferta e demanda

Demanda A demanda é a relação entre preço e quantidade, na visão do consumidor.Lei da DemandaRegra GeralQuanto maior o preço, menor a quantidade procurada (↑P↓Q)

Quanto menor o preço, maior a quantidade procurada (↓P↑Q)

Há relação negativa entre o preço e a quantidade.

Exceções para a regra:

Bens de luxo: joias, carros (↑P↑Q)

Bens de Giffen: situação de aumento de preço e quantidade (ex: carne e batata na Irlanda)

Oferta A oferta é a relação de preço e quantidade, na visão do produtorLei da OfertaA quantidade ofertada de um bem varia no mesmo sentido de seu preço, isto é, a quantidade ofertada é tanto maior quanto maior o seu preço, e vice-versa.

Regra Geral

Quanto maior o preço, maior a quantidade ofertada: ↑P↑Q

Quanto menor o preço, menor a quantidade ofertada: ↓P↓Q

Há relação positiva entre preço e quantidade.

Equilíbrio da Oferta e Demanda

O preço de equilíbrio é aquele que iguala as quantidades demandadas e ofertadas.

escassez: quando a quantidade procurada é maior do que a ofertada.

excedente: quando a quantidade ofertada é maior do que a procurada.

Fatores que levam o deslocamento das curvas de demanda

Deslocamento ao longo da curva de demanda (mudança de ponto na própria curva) Modificações:. na Quantidade ou. no Preço do produto
Deslocamento da curva de demanda Modificações: na Renda, nos Preços dos Bens substitutos e complementares, nos gostos e preferências e nas Expectativas dos consumidores em relação ao futuro

Fatores que levam o deslocamento das curvas de oferta

Deslocamento ao longo da curva de oferta (mudança de ponto na própria curva) Modificações na Quantidade ou no Preço do produto
Deslocamento da curva de oferta Modificações nos custos, na tecnologia ou nas expectativas dos produtores em relação ao futuro

Utilidade

O que significa o termo Utilidade em mciroeconomia? Diz-se ter maior utilidade as cestas que possuem mais bens.

E o que significa Utilidade Marginal?

A Utilidade Marginal é a utilidade adicional proporcionada pelo consumo de uma unidade adicional de um determinado bem.

Ela é decrescente, pois, o consumo de segunda unidade de um bem proporciona utilidade inferior àquela gerada pelo consumo da primeira unidade do bem.

Cuidado: a utilidade total aumenta com o consumo de bens adicionais, mas a proporção do aumento é cada vez menor.

Assim:

  • Utilidade marginal é decrescente
  • Utilidade total é crescente

Escolha do consumidor

A decisão do consumo depende de uma comparação entre o benefício adicional gerado por um determinado bem (Umg) e o custo de oportunidade relacionado à aquisição daquele bem (Preço).

Assim:

Umg > Preço: o consumidor compra o produto

Umg < Preço: o consumidor não compra o produto

Curva de indiferença

É a função que liga as inúmeras combinações para as quais o consumidor é indiferente em relação ao consumo.

Exemplo:

Conforme o vestuário vai ficando escasso em relação aos alimentos, pode-se dizer que a Umg de vestuário está aumento, ao passo que a Umg de alimentos está caindo. Assim, a vontade de adquirir mais vestuário é maior do que a de consumir os alimentos.

Propriedades das curvas de indiferença

  • As curvas são convexas em relação aos eixos
  • Consumidor prefere mais a menos
  • As curvas de indiferença jamais se cruzam

Efeito Renda e Efeito Substituição

Efeito Substituição

É o impacto sobre o consumo de um produto, causado pela alteração dos preços relativos.

O que isso significa?

Em um aumento ou diminuição no preço, há deslocamento na inclinação da curva de restrição orçamentária. A regra matemática de formação da restrição orçamentária é tal que:

Renda = Px.Qx + Py.Qy

Efeito Renda

É o impacto sobre o consumo de um produto, causado pela variação da renda.

O que isso significa?

Aumento de renda: provoca um deslocamento paralelo da curva de restrição orçamentária para a direita.

Diminuição da renda: considerando tudo o mais constante, provoca um deslocamento paralelo da curva para a esquerda.

A inclinação da curva de restrição orçamentária é dada pela relação de preços dos bens. Como esses preços não se alteraram, com diferentes rendas, são paralelas.

Teoria da Firma

A teoria da firma estuda o comportamento das empresas, como elas tomam suas decisões e como atingem os seus objetivos. Sendo que, o objetivo da firma é obter o máximo de lucro possível, e não maximizar a receita ou minimizar o custo.

O que é lucro?

Lucro = Receita total – Custo total

Lucro econômico ≠ Lucro contábil: o primeiro leva em consideração o custo de oportunidade, ter lucro econômico zero não é a mesma coisa do que ter lucro contábil zero.

Lucro econômico zero significa dizer que todos os seus custos econômicos estão sendo suficientemente remunerados pela sua receita, inclusive o seu custo de oportunidade.

Em outras palavras…

  • Quando o Preço > Custo Total médio*, o Lucro Econômico é positivo (+)
  • Quando o Preço = Custo Total médio*, o Lucro Econômico = 0
  • Quando o Preço < Custo Total médio*, o Lucro Econômico pe negativo (-)

O que é receita?

Receita total (Rt)

Receita total = Preço x Quantidade

Receita marginal (Rmg)
É o incremento na Receita total gerado pela produção de uma unidade a mais.

Receita marginal = Custo marginal (nível de produção de máximo lucro)

Receita total media (Rtme)

Indica quanto cada unidade produzida me proporciona, na média, de receita total.

Receita Total média = Receita total/Quantidade

Quais são os custo?

Custo total (Ct)

Custo total = Custo Fixo + Custo Variável

O custo fixo é aquele que tem seu valor fixo, independente do nível de produção. Ele tem de ser pago, mesmo que a produção seja zero.

O custo variável “varia” de acordo com o nível de produção. Se o nível de produção for zero, o custo variável será zero.

Custo marginal (Cmg)

É o custo adicional gerado pela produção de uma unidade adicional. Em outras palavras, é o incremento no custo total proporcionado pela produção de uma unidade a mais.

Curiosidade: Como achar o Custo Marginal matematicamente? Clique aqui.

Custo total médio*(Ctme)

Custo total médio = Custo total/Quantidade

Custo fixo médio (Cfme)

Custo fixo médio = Custo fixo/Quantidade

Custo variável médio (Cvme)

Custo variável médio = Custo variável/Quantidade

Elasticidades

Elasticidade-preço da Demanda

A existência de substitutos próximos torna a elasticidade da demanda mais horizontal (valor mais alto em módulo).

Epd = Variação % Qd / Variação % P

Elástico: Variação%Q > Variação%P

Inelástico: Variação%Q < Variação%P

Quais são os fatores que tornam a demanda mais ou menos elástica?

  1. Especialidade
  2. Existência de substitutos próximos
  3. Relevância/Peso no orçamento

Inelástico: é essencial, não tem substituos próximos e é leve no orçamento

Elasticidade-preço da Oferta

Epo = Variação %Qof / Variação %P

Elástico: Variação %Qof > Variação %P

Inelástico: Variação %Qof < Variação %P

Elasticidade-renda da Demanda

Erd = Variação %Qd / Variação %R

Elástico: Variação %Q > Variação %R

Inelástico: Variação %Q < Variação %R

Elasticidade positiva (+) : Bem normal (aumenta a renda e o consumo aumenta ou o contrário).

Elasticidade negativa (-) : Bem inferior (aumenta a renda e o consumo diminui ou o contrário).

Para conteúdo mais aprofundado de Microeconomia, clique aqui.

Estruturas de Mercado

Concorrência Perfeita

  • Muitos produtores
  • Tomadores de preços
  • Prdouto homogêneo
  • Não existem barreiras à saída e à entrada

O preço é constante = Rmg. A Demanda é horizontal. A livre entrada garante à tendência ao lucro econômico = 0

Monopólio

  • Único produtor
  • Formador de preços
  • Existem barreiras à entrada e à saída de firmas
  • Diminui a produção em relação à concorrência perfeita, fazendo isso ele aumenta o preço, conseguindo lucros altos. Há aumento de excedente do produtor e diminuição no excedente do consumidor
  • Excedente do Produtor < Excedente do Consumidor = peso morto (diminuição do excedente de Mercado).

Oligopólio

  • Poucos produtores
  • Produto homogêneo
  • Barreiras à entrada

Cartel: maximizar o objetivo do lucro

Concorrência Monopolística

  • Muitos produtores
  • Produtos heterogêneos
  • Não existem barreiras à entrada e à saída, tendência do LE = 0
    • Utilizam-se da Propaganda e da Inovação para se destacar no mercado.

Para conteúdo mais aprofundado de Estruturas de Mercado, clique aqui.

Fontes:

  • Notas de aula
  • [Livro] Introdução à Economia: Gregory Mankiw
  • [Livro] Microeconomia: Robert Pindyck
  • Curso de Microeconomia online e gratuito do MIT

V1* Patricia Galves Derolle é graduada e pós-graduada em Relações Internacionais. Já estagiou na Missão do Brasil junto à União Europeia, em Bruxelas, na Missão do Brasil junto à ONU, em Genebra; trabalhou no Escritório de Representação do Itamaraty em São Paulo e na Organização Internacional para Transportes Terrestres (IRU) em Genebra. Atualmente, é Advisory Board Member e Senior Editor da revista digital Modern Diplomacy e  fundadora do site e-Internacionalista. Contato: e.internacionalista@gmail.com

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s